.'. Kleber Cavalcante de Sousa

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O BRASIL PRECISA DE GESTORES COMPETENTES

A sociedade brasileira assiste perplexa a crise institucional que se instalou no PAÍS. A IMPRENSA diariamente divulga as irregularidades promovidas pelos agentes públicos, que através de práticas políticas e administrativas inaceitáveis, identificadas nas organizações públicas, tais como: Corrupção, favorecimento ilícito, lavagem de dinheiro, tráfico de influência, peculato, entre outros.
Práticas essas extremamente danosas para o erário público, para o País e consequentemente para a sociedade brasileira, tão carente de melhores serviços públicos de qualidade.
A sociedade brasileira já se manifestou que não deseja pagar a conta, pelos descasos e desvios de conduta identificados pelo pelos órgãos estatais: MPF – Ministério Público Federal, Justiça Federal e Polícia Federal, que através de operações coordenadas, realizam diversas ações de combate a corrupção, dentre elas a chamada operação  LAVA JATO e a operação ZELOTES. Operações estas que estão abalando as estruturas da Republica Brasileira.
Frente a todos os descasos, o Governo Federal alardeia a necessidade de mais IMPOSTOS e da realização de ajustes e mudanças, isso sem oferecer nenhuma possibilidade de melhoria dos serviços prestados a sociedade, além da corrupção que está impregnada em diversos órgãos do governo brasileiro, quer seja nos níveis federal, estadual e municipal.
Não! A sociedade não aceita e não suporta ser conduzida coercitivamente a pagar mais IMPOSTOS e ser a responsável por esses descasos. “Se queres mais recursos, melhorem a gestão, senhores administradores públicos”.
Ora, o Brasil é um dos países que mais se paga impostos no mundo e em que a população não obtém o retorno devido. Segundo a Associação comercial de São Paulo o valor pago em Impostos pelos Brasileiros no ano e 2015 chegou ao valor de R$ 2 trilhões de Reais.
Há serviços prestados para a população? E os serviços prestados são de qualidade? atendem a demanda da sociedade? Os recursos públicos são utilizados de forma transparente? Os gestores públicos planejam as ações com base nas demandas da sociedade? Há transparência e responsabilização quando identificado mau uso dos recursos?
São questões importantes que precisam ser atendidas  e explicitadas para que se tenha uma gestão pública mais profissional e que atenda melhor os anseios das sociedade.
Neste contexto, é importante destacar que para se obter uma Gestão Pública de Qualidade é essencial que as organizações públicas, os estados, municípios e a união tenham em seus quadro profissionais competentes e que estejam comprometidos em servir a sociedade, atendendo os princípios constitucionais da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência, que devem nortear todas as ações das pessoas que desejem atuar no serviço público.


Adm. Kleber Cavalcante de Sousa
Administrador e Professor.

Conselheiro do CRA/RN

quinta-feira, 24 de março de 2016

A BOA GOVERNANÇA PÚBLICA


A sociedade brasileira tem demonstrado a sua insatisfação com o atual cenário econômico e político brasileiro. Estamos presenciando um momento de grande turbulência social, em que grupos antagônicos debatem e discutem na mídia sobre o modelo de governo que se deseja. Essa turbulência só não se transforma em uma crise institucional, devido ao fortalecimento das instituições do estado brasileiro, que estão atuando de forma satisfatória, demonstrando o amadurecimento de nossa jovem democracia.
Neste cenário de insatisfação popular com a má gestão pública e com os desvios de conduta de agentes públicos, eleitos ou nomeados para representar a população na legislação e execução de políticas públicas que possam beneficiar a grande parte da sociedade, destaca-se a falta de métodos e de pessoas qualificadas para exercer esses papéis no âmbito municipal e estadual.
Preocupado com esta situação crítica dos municípios brasileiros, o TCU – Tribunal de Contas da União desenvolveu ações estratégicas a fim de  oferecer maior conhecimento aos gestores públicos sobre a temática da boa governança na Administração pública. Associado a esta iniciativa do TCU, o CFA - Conselho Federal de Administração, através de sua  câmara de Gestão Pública tem implementado diversas ações objetivando profissionalizar a gestão pública nos munícipios e oferecer maiores oportunidades aos competentes Administradores Brasileiros, como uma estratégia para contribuir com a melhoria da qualidade dos serviços públicos.
Neste contexto, a discussão da governança na esfera pública tem ganhado força no Brasil, através das ações de sensibilização junto aos agentes políticos, pelos Tribunais de Contas Estaduais, TCU e agora pelo sistema CFA/CRA’S, defendendo a profissionalização da Gestão, maior transparência e a implementação de mecanismos de controle.
A governança pública possui princípios básicos norteadores de boas práticas para as  organizações públicas a: transparência, integridade e prestação de contas, liderança, compromisso e integração.
Assim, a Boa Governança Pública trabalha sobre 3 pilares básicos: Liderança, Estratégia e controle.
Esses pilares possuem vários passos que precisam ser trabalhados no âmbito, no entanto abordar-se a aqueles que considera-se mais urgentes para ser implementados nos municípios brasileiros.
Na dimensão Liderança é importante que a gestão realize os processos tendo como base critérios de competência, experiência, idoneidade moral e comprometimento em servir a sociedade.  Defende-se que o Gestor implante mecanismos de avaliação e monitoramento da produtividade objetivando que cada um colaborador possa cumprir seu papel com eficiência.
Na dimensão Estratégia é essencial que os “ Stakeholders”, isto é, a sociedade civil seja envolvida na determinação dos objetivos, projetos e acompanhe o real destino dos recursos públicos, além de buscar criar mecanismos a fim de melhorar continuamente esses processo de definição estratégica da gestão e do munícipio, em que todos saibam quais os objetivos organizacionais da gestão e do município.
Na dimensão Controle é necessário que os gestores implementem mecanismos de auditoria, prestação de contas, transparência e responsabilização dos gestores e servidores pelos seus atos.
Para que a boa governança pública seja implementada no âmbito municipal é necessário que os gestores públicos, ora eleitos, tenham o compromisso e a coragem de implantar durante os seus mandatos forma inovadora de melhor gerir os municípios,  e assim ter mais condições de atender as demandas da sociedade e estar mais imune a problemas de desvios de conduta, corrupção e mau uso dos recursos públicos.
Por fim, é importante destacar que frente essas dificuldades observadas na gestão pública, percebe-se uma grande oportunidade para quem deseja inovar e se destacar, buscando tornar os municípios mais eficientes e mais competentes no que se refere ao usos dos recursos públicos e a prestação de serviços a sociedade. 



Kleber Cavalcante de Sousa
Administrador e Professor universitário

terça-feira, 27 de outubro de 2015

EM DEFESA DA PROFISSIONALIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA

O Adm. Kleber Cavalcante de Sousa, diretor de formação profissional do CRA/RN e coordenador do Projeto Administrador Municipal no RN, se deslocou até o estado do Amapá, na semana de 19 a 23 de outubro, a convite da Câmara de Gestão Pública do Conselho Federal de Administração (CGP/CFA), para contribuir com as ações do CRA/AP em defesa da profissionalização da gestão pública e na luta contra a corrupção.
O CRA/AP em parceria com TCE/AP e da AMEAP - Associação dos Municípios do Estado do Amapá realizaram um Fórum de Gestão Pública Municipal, com o objetivo de sensibilizar os gestores públicos e a população da importância da profissionalização da Gestão Pública, destacando que um dos grandes problemas é a falta de profissionais competentes para Planejar, organizar, liderar e realizar os procedimentos de controles tão necessários nas organizações.
Foram realizadas 2(duas) audiências públicas nas casas legislativas do Amapá, 2 (duas) palestras enfocando a temática, e uma série de entrevistas na mídia do Amapá defendendo a profissionalização da gestão e a participação da sociedade neste processo de combate a corrupção.
A convocação a sociedade buscou que cada cidadão além do papel de controlador, seja também comprometido a cumprir as leis, respeitar o direito dos outros e acima de tudo não busque levar vantagem ilícita nas suas relações interpessoais ou com as organizações. A mudança tem que partir da sociedade. É preciso que cada um, comece a mudança em si, como dizia o Mahatma Ghandi, “se queres a mudança no mundo, inicie em si mesmo.”
É preciso que façamos a nossa parte, a sociedade não pode ficar omissa. Precisamos acreditar que é possível tornar o nosso país mais justo e perfeito. Lembrando a célebre frase atribuída a Martin Luther King, defensor dos direitos humanos no EUA: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”.
Não adianta ficar reclamando, criticando e não participando. Não podemos ser  omissos. É preciso fazer algo!  Vamos lutar por um Brasil melhor. Somos um país rico e repleto de oportunidades, que precisa de pessoas mais competentes para melhor planejar, organizar e gerir de forma mais adequada os recursos disponíveis, a fim de atender as necessidades de nossos cidadãos. Através de pessoas mais preparadas e comprometidas com a gestão pública,  tenho certeza que estaremos no caminho certo para um futuro muito melhor para a nossa população.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

ENCONTRO REGIONAL DOS MUNICÍPIOS DO RN DISCUTE A BOA GESTÃO PÚBLICA

           Nos meses de agosto e setembro de 2015 a FEMURN – Federação dos Municípios do RN, a FECAM_RN – Federação das Câmaras Municipais do RN e o TCE/RN – Tribunal de Contas do Estado do RN, através da sua Escola de Contas promoveram 4(quarto) encontros regionais para os gestores de todos os 168 municípios do RN, objetivando orientar e debater assuntos sobre as  boas práticas na gestão pública municipal.
     Com uma programação que abordava diversos temas sobre o dia-a-dia da gestão municipal, incluindo a necessidade de práticas de controle, gestão adequada de pessoas, e a transparência no uso dos recursos públicos, o Encontro atraiu muitos gestores municipais e possibilitou a troca de experiências e uma maior interação entre os Stakeholders da Gestão Pública Municipal. 
   
    

    Dentre os assuntos abordados, fui convidado a expor a importância da Boa Governança e das práticas para uma boa gestão pública. Na oportunidade,  destaquei a importância da profissionalização da gestão pública municipal e o papel essencial que os administradores podem exercer para contribuir com o desenvolvimento dos municípios Brasileiros.
      


      Como coordenador no RN do projeto Administrador Municipal, do sistema CFA/CRA’S, acredito que esse evento foi muito importante para a maior conscientização dos gestores municipais (prefeitos, vereadores, secretários, assessores, etc) sobre a necessidade de profissionalizar a gestão pública em seus municípios, e o papel que o Administrador pode exercer como protagonista nestes desafios, visto que o Administrador  é o professional mais preparado para Planejar, Dirigir, Organizar e Controlar os processos, além de ter visão abrangente, ser generalista, capaz de pensar estrategicamente, focado para resultados e ser bastante resiliente.
       

domingo, 12 de julho de 2015

A CORRUPÇÃO NO BRASIL

Um dos grandes problemas Brasileiros é a CORRUPÇÃO. Lamentavelmente a população brasileira aceita e é complacente com esse mal, que assola e destrói o nosso País. A nossa população aceita e é conivente com a política do “jeitinho Brasileiro”, quando permite que as pessoas se utilizem da “lei de Gerson”, quando se omite em denunciar, ou quando no seu dia a dia não cumpre o seu papel, e/ou não exige que as pessoas cumpram às regras, os contratos e as leis.
Aliado a esse fato, vivemos em uma cultura da IMPUNIDADE, em que há um sistema que favorece pela não punição dos culpados. Obviamente, aqueles que possuem mais condições, pois ou possuem mais conhecimento de como burlar a lei e as regras, ou possuem recursos para contratar os melhores juristas para defendê-los. Segundo um relatório da ONU (2009) esse é um dos grandes problemas do Brasil para combater a Corrupção.
É nesse contexto de cumplicidade e omissão que vive a nossa sociedade “organizada”. Mas será que somos uma sociedade organizada? Considero que ainda estamos nos organizando, visto que o termo organização estabelece regras e cumprimento das mesmas. Boa parte da nossa sociedade sabe muito mais exigir seus direitos, que cumprir seus deveres, só consegue ver as falhas dos outros, mas não observa as suas falhas. Exige-se que as outras pessoas cumpram as regras, mas procura meios para burlá-las, quando essas regras impedem do alcance dos seus objetivos. Exige que os políticos sejam probos, honestos, mas quando se observa uma situação que pode lhe trazer algum benefício, procura subterfúgios e “jeitinhos” para tirar vantagens da situação.
Oh! Pobre futuro do Brasil. Estruturas arcaicas de poder não permitem que mudanças sejam implantadas no Brasil, em busca de maior rigor nas leis e na busca de maior punição. Um País onde é necessário investir maciçamente em educação e cultura. Educar para a prática da virtude, e extinguir da sociedade essa cultura da vantagem, do “esperto”, do malandro. Como dizia Aristóteles somente à prática da virtude nos levará a felicidade, e essa busca pela felicidade de forma virtuosa deve ser a ética que rege as relações pessoais.
Como a pauta do momento na Mídia é a corrupção, e observa-se a população cada vez mais indignada com os desvios de dinheiro público e com as vantagens “ilícitas” alcançadas por agentes políticos e públicos no exercício de seus mandatos e cargos públicos; defendo que é a hora de iniciar um grande debate em todas as organizações sobre os fatores e as responsabilidades de cada um de nós, sobre a manutenção desta cultura do jeitinho brasileiro, que alimenta a corrupção em nosso país. 

PALESTRA SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL - PROFISSIONAIS DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

Em um mercado hipercompetitivo, como o da Indústria Farmacêutica, as empresas buscam resultados expressivos e mais rápidos e cobram os propagandistas de medicamentos para melhorar seus desempenhos e assim aumentar a sua produtividade, contribuindo para o aumento dos lucros. 
Em alguns casos essas cobranças chegam a ser exageradas, prejudicam o desempenho dos colaboradores. Estudos comprovam que muitos profissionais não estão preparados para trabalhar sobre pressão, chegando a cometer desvios de condutas, ferindo a ética profissional, desrespeitando colegas, clientes, etc. , em busca de obter melhores resultados.
            Neste sentido, é importante a realização de atividades que informem e eduquem os profissionais da propaganda médica, sobre a ética, Complice,  e os códigos de conduta profissionais. Um bom exemplo é código de conduta da INTERFARMA  com o CFM, firmado e que  deve ser seguido por todos os colaboradores.
            Assim, é louvável a realização da Palestra sobre a IMPORTÂNCIA da ÉTICA PROFISSIONAL para os profissionais da Indústria Farmacêutica, pelo SINPROVERN. A palestra foi ministrada pelo o Administrador e Professor Kleber Cavalcante de Sousa, que já foi propagandista de medicamentos e hoje atua como consultor e palestrante. Nesta palestra Kleber evidenciou a importância da Ética e explicou a diferença entre Ética e Moral, destacando a atenção que a sociedade tem dispensado  a este tema, inclusive os médicos, pacientes e às empresas farmacêuticas, que hoje acompanham com bastante atenção às condutas de seus colaboradores, e seus resultados são auditados e verificados para avaliar se  foram obtidos de maneira ética e legal. 

sexta-feira, 12 de junho de 2015

UM ANO APÓS A COPA DO MUNDO.



O Brasil é um País fantástico, repleto de belezas e riquezas naturais, grande diversidade cultural e um povo trabalhador e hospitaleiro. Uma nação jovem que busca se consolidar como um lugar melhor para se viver. Apesar de todas essas potencialidades a população brasileira sofre, com mazelas e com problemas estruturais crônicos. A insegurança e a falta de serviços públicos de educação e saúde de qualidade é um desses problemas. Por outro lado, o Brasil é um dos países que mais eficientes para arrecadar impostos e tributos de seus cidadãos e das organizações (empresas e instituições). 
Recentemente, no ano de 2013, a população brasileira foi às ruas das grandes cidades do País para mostrar a sua indignação e exigir melhores serviços públicos. A população se cansou de promessas e discursos vazios dos agentes políticos, perdendo a paciência e se rebelando contra essa crise na gestão pública.  A realização da Copa do Mundo no Brasil e os recursos públicos destinados para financiar ou custear as obras foram os fatores que estimularam a revolta da população.
Lamentavelmente, após um ano da realização da copa, a população começa a identificar os grandes vencedores da copa e o verdadeiro legado para a população. Os vencedores não foram os alemães e os legados não foram os estádios. Quem ganhou com a copa do mundo no Brasil foram às empreiteiras, grandes financiadoras de campanhas políticas, algumas que estão envolvidas nos problemas da Petrobras. O grande legado são os elefantes brancos (estádios) inviáveis economicamente, em razão da baixa média de público que os frequenta.
Na verdade, a copa do mundo não foi para os Brasileiros, foi para poucos investidores, para a FIFA e seus parceiros. Mas serviu para mostrar, como é fácil manipular as massas, através da oferta de “Pão e Circo”, como os Césares e os imperadores faziam  na  Roma Antiga.

domingo, 5 de abril de 2015

A MORTE DE UM FILHO E A DOR DOS PAIS


Todos os seres vivos nascem, crescem e morrem. Nós, os seres humanos somos conscientes que o dia da morte chegará para todos. Somos mortais e o nosso corpo físico se acabará. Morrer é uma das grandes certezas para o ser humano. No entanto, não estamos preparados para este momento, ou para vivenciar a perda de alguém que amamos. Se a morte ocorrer de forma trágica, através de um acidente ou de um incidente a dor é maior. Esse rompimento inesperado causa nas pessoas um grande sentimento de impotência e de perda, podendo causar traumas irreversíveis. 
Quando os pais perdem um filho de forma trágica, eles se deparam com uma situação inesperada e inimaginável em suas vidas. A morte de um filho é uma dor incomparável para um Pai ou Mãe. Por mais, que eles sejam conscientes da possibilidade, ninguém está preparado para vivenciar tal situação. Como dizia o Padre Fábio de Melo: “Há dores que parecem reunir todos os motivos humanos em um só lugar. A dor de perder um filho é assim”. Essa é uma ferida que dificilmente será curada.
O que dizer a um Pai ou Mãe que perdeu um filho? Não existem palavras para amenizar a dor e o sofrimento. É preciso respeitar esse momento que eles estão vivendo, em que a saudade e a tristeza permeiam a vida deles. O melhor a fazer é demonstrar apoio e solidariedade. 
A esses homens e mulheres que passam e/ou já passaram por estas situações desejo muita força, esperança e serenidade para que possam continuar trilhar a sua caminhada terrena. Cada um de nós tem uma missão e um fardo a levar, e não haverá como fugir disto.

domingo, 7 de dezembro de 2014

A ASTRONOMIA E A VIDA FORA DO PLANETA TERRA

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou na quarta-feira (12) o Projeto de Lei 5931/09, que institui o dia 2 dezembro como Dia Nacional da Astronomia. A data foi escolhida por ser o aniversário do ex-imperador do Brasil Dom Pedro II (1825-1891), incentivador do estudo da astronomia.
O texto agora seguirá para o Senado. A proposta já havia sido aprovada também pela antiga Comissão de Educação e Cultura.
A admiração e curiosidade que o homem sente pelo céu são bem antigas - remontam a cerca de 3000 AC entre os sumérios da Mesopotâmia (atual Curdistão). A astronomia é a ciência que estuda os corpos celestes. O estudo da astronomia possibilitou ao homem entender: os dias e as noites, as estações do ano, o calendário e as marés - está presente no nosso cotidiano.
O trabalho do Astrônomo é de uma importância crucial para a vida humana, visto que através deste trabalho é possível estudar como a vida se desenvolve no Universo, as ameaças ao nosso planeta, entre outras temáticas celestes.
Em destaque o colega José Dias do Nascimento Júnior, um Natalense que hoje desenvolve uma pesquisa em Harvard. A pesquisa desenvolvida por José Dias do Nascimento Júnior se concentra, especificamente, na busca por novas estrelas gêmeas em diferentes sítios da galáxia e, também, fora dela, nos campos observados com o satélite Kepler da NASA. A busca por estrelas gêmeas do SOL e de vida fora do Planeta Terra.


Para saber mais sobre o trabalho do Astronomo Potiguar: 
http://www.novojornal.jor.br/colunas/cidades/458