.'. Kleber Cavalcante de Sousa: Junho 2015

sexta-feira, 12 de junho de 2015

UM ANO APÓS A COPA DO MUNDO.



O Brasil é um País fantástico, repleto de belezas e riquezas naturais, grande diversidade cultural e um povo trabalhador e hospitaleiro. Uma nação jovem que busca se consolidar como um lugar melhor para se viver. Apesar de todas essas potencialidades a população brasileira sofre, com mazelas e com problemas estruturais crônicos. A insegurança e a falta de serviços públicos de educação e saúde de qualidade é um desses problemas. Por outro lado, o Brasil é um dos países que mais eficientes para arrecadar impostos e tributos de seus cidadãos e das organizações (empresas e instituições). 
Recentemente, no ano de 2013, a população brasileira foi às ruas das grandes cidades do País para mostrar a sua indignação e exigir melhores serviços públicos. A população se cansou de promessas e discursos vazios dos agentes políticos, perdendo a paciência e se rebelando contra essa crise na gestão pública.  A realização da Copa do Mundo no Brasil e os recursos públicos destinados para financiar ou custear as obras foram os fatores que estimularam a revolta da população.
Lamentavelmente, após um ano da realização da copa, a população começa a identificar os grandes vencedores da copa e o verdadeiro legado para a população. Os vencedores não foram os alemães e os legados não foram os estádios. Quem ganhou com a copa do mundo no Brasil foram às empreiteiras, grandes financiadoras de campanhas políticas, algumas que estão envolvidas nos problemas da Petrobras. O grande legado são os elefantes brancos (estádios) inviáveis economicamente, em razão da baixa média de público que os frequenta.
Na verdade, a copa do mundo não foi para os Brasileiros, foi para poucos investidores, para a FIFA e seus parceiros. Mas serviu para mostrar, como é fácil manipular as massas, através da oferta de “Pão e Circo”, como os Césares e os imperadores faziam  na  Roma Antiga.