.'. Kleber Cavalcante de Sousa: Julho 2015

domingo, 12 de julho de 2015

A CORRUPÇÃO NO BRASIL

Um dos grandes problemas Brasileiros é a CORRUPÇÃO. Lamentavelmente a população brasileira aceita e é complacente com esse mal, que assola e destrói o nosso País. A nossa população aceita e é conivente com a política do “jeitinho Brasileiro”, quando permite que as pessoas se utilizem da “lei de Gerson”, quando se omite em denunciar, ou quando no seu dia a dia não cumpre o seu papel, e/ou não exige que as pessoas cumpram às regras, os contratos e as leis.
Aliado a esse fato, vivemos em uma cultura da IMPUNIDADE, em que há um sistema que favorece pela não punição dos culpados. Obviamente, aqueles que possuem mais condições, pois ou possuem mais conhecimento de como burlar a lei e as regras, ou possuem recursos para contratar os melhores juristas para defendê-los. Segundo um relatório da ONU (2009) esse é um dos grandes problemas do Brasil para combater a Corrupção.
É nesse contexto de cumplicidade e omissão que vive a nossa sociedade “organizada”. Mas será que somos uma sociedade organizada? Considero que ainda estamos nos organizando, visto que o termo organização estabelece regras e cumprimento das mesmas. Boa parte da nossa sociedade sabe muito mais exigir seus direitos, que cumprir seus deveres, só consegue ver as falhas dos outros, mas não observa as suas falhas. Exige-se que as outras pessoas cumpram as regras, mas procura meios para burlá-las, quando essas regras impedem do alcance dos seus objetivos. Exige que os políticos sejam probos, honestos, mas quando se observa uma situação que pode lhe trazer algum benefício, procura subterfúgios e “jeitinhos” para tirar vantagens da situação.
Oh! Pobre futuro do Brasil. Estruturas arcaicas de poder não permitem que mudanças sejam implantadas no Brasil, em busca de maior rigor nas leis e na busca de maior punição. Um País onde é necessário investir maciçamente em educação e cultura. Educar para a prática da virtude, e extinguir da sociedade essa cultura da vantagem, do “esperto”, do malandro. Como dizia Aristóteles somente à prática da virtude nos levará a felicidade, e essa busca pela felicidade de forma virtuosa deve ser a ética que rege as relações pessoais.
Como a pauta do momento na Mídia é a corrupção, e observa-se a população cada vez mais indignada com os desvios de dinheiro público e com as vantagens “ilícitas” alcançadas por agentes políticos e públicos no exercício de seus mandatos e cargos públicos; defendo que é a hora de iniciar um grande debate em todas as organizações sobre os fatores e as responsabilidades de cada um de nós, sobre a manutenção desta cultura do jeitinho brasileiro, que alimenta a corrupção em nosso país. 

PALESTRA SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL - PROFISSIONAIS DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

Em um mercado hipercompetitivo, como o da Indústria Farmacêutica, as empresas buscam resultados expressivos e mais rápidos e cobram os propagandistas de medicamentos para melhorar seus desempenhos e assim aumentar a sua produtividade, contribuindo para o aumento dos lucros. 
Em alguns casos essas cobranças chegam a ser exageradas, prejudicam o desempenho dos colaboradores. Estudos comprovam que muitos profissionais não estão preparados para trabalhar sobre pressão, chegando a cometer desvios de condutas, ferindo a ética profissional, desrespeitando colegas, clientes, etc. , em busca de obter melhores resultados.
            Neste sentido, é importante a realização de atividades que informem e eduquem os profissionais da propaganda médica, sobre a ética, Complice,  e os códigos de conduta profissionais. Um bom exemplo é código de conduta da INTERFARMA  com o CFM, firmado e que  deve ser seguido por todos os colaboradores.
            Assim, é louvável a realização da Palestra sobre a IMPORTÂNCIA da ÉTICA PROFISSIONAL para os profissionais da Indústria Farmacêutica, pelo SINPROVERN. A palestra foi ministrada pelo o Administrador e Professor Kleber Cavalcante de Sousa, que já foi propagandista de medicamentos e hoje atua como consultor e palestrante. Nesta palestra Kleber evidenciou a importância da Ética e explicou a diferença entre Ética e Moral, destacando a atenção que a sociedade tem dispensado  a este tema, inclusive os médicos, pacientes e às empresas farmacêuticas, que hoje acompanham com bastante atenção às condutas de seus colaboradores, e seus resultados são auditados e verificados para avaliar se  foram obtidos de maneira ética e legal.